ANEDOTÁRIO….

sexta-feira, 23 abril, 2010 at 23:05 (Coração vagabundo, Desejos, Nostalgia, Poesia, Sentimentos, Tempo) ()

Foto extraída do Blog "O Equador das Coisas"

O anedotário humano, trigueiro e solitário
Inocente, matuto. Um pequeno otário.
De menino vadio, saliente
Para mancebo da palavra delinqüente

De passos incertos, perversos
Concerto de anedotas, fala rouca.
Um “passo”, por não saber a resposta
Planos reversos

Barro anforal, mãos deleitadas.
Do toque cálido ao frio argiloso
Forma rotunda, daquelas mãos oriundas.
Um sorriso contido ao segurar o receptáculo barroso

Um presente vazio que aguarda ser preenchido.
Nas mãos do menino, um desejo mesquinho.
Anedotas.

Link permanente Deixe um comentário

O DESAVISADO E O PECADO

sexta-feira, 2 abril, 2010 at 18:47 (Coração vagabundo, Desejos, Devaneios, Mulher, Olhar, Pecado, Poesia) (, , , , )

Ela tem olhos cor de mel,
Sorriso de criança e lábios sabor de maçã.
Maçã do amor.

A pele como seda imperial
O cheiro de mirra do Egito
E o olhar de Medusa.

Tão fácil é perder-se naquele olhar,
Fatal e mortal.
Tão, mais ainda, mortal pra um desavisado como eu…

Como embrenhar no mar devoluto
Um galeão sem tripulação, uma guerra sem soldados
Uma dança sem música… Ele, desavisado.

Nenhum atrevido restou pra contar história
Contar história e avisar-lhe
Arriscavam no mar, sem mapa ou bússola pra guiar.
Nunca mais iria voltar.

O calor da mão dela derretia…
Derretia o gelo no copo de whisky dele.
A vida se esvaia concomitantemente com aquele gelo.

Do próprio veneno, o pecado
Do pecado, o desavisado
Do desavisado, a morte
Da morte, o amor.

O pecado do desavisado,
Provar o veneno.

Link permanente Deixe um comentário